domingo, 27 de agosto de 2017

Minha Trajetória na Graduação - Superações e Dificuldades



  Olá amigos, depois de um bom tempo sem publicar aqui na página, hoje resolvi dedicar-me a falar sobre a minha trajetória na graduação, expondo as minhas superações, bem como as dificuldades enfrentadas.

Por Nataly Pessoa

   Bom, iniciei a graduação no curso de Direito em 2010, em um Centro Universitário em Natal, no começo estava bem feliz, pois antes do Direito, frequentei dois cursos, nos quais não me identifiquei e acabei desistindo, além da dificuldade de interação social mais evidente na época. E estudando para concursos públicos, identifiquei-me bastante com a área jurídica, decidindo portanto em cursar Direito. Mas, nem tudo foi fácil, enfrentei muitas dificuldades, uma delas infelizmente, o Bullying. 
Nos primeiros semestres do curso, ainda não havia sido diagnosticada com a Síndrome de Asperger (grau leve do Autismo), porém eu tinha a consciência de que nada ia bem comigo. Como eu tinha dificuldade em interagir-me com muitos da turma, muitas vezes durante o intervalo acabava isolando-me em um local mais reservado e tranquilo, pois como sempre tive a hipersensibilidade sensorial, não suportava o barulho intenso nos corredores da faculdade e isso, fazia com que algumas pessoas da turma ficassem me chamando de "esquisita". Tive sérias dificuldades com trabalhos em grupo, pois alguns não queriam que eu participasse, pois diziam que eu era "problemática", porém como sempre tive facilidade em aprender os conteúdos de maneira rápida, não gostava quando se aproveitavam de mim por conta disso. Já escutei algo do tipo: " Ah, porque você não faz um curso mais fácil? Direito é muito difícil para você.". Resultado, não consegui mais ficar na turma e acabei trancando o curso durante um ano, sofri muito com toda essa situação. E foi nesse período, 2011, que fui diagnosticada pelo então psiquiatra e amigo, que me acompanha até hoje. Foi uma reviravolta na minha vida, mesmo sabendo que havia algo de diferente no meu jeito de ser e confesso que foi a melhor notícia, pois tudo o que não entendia acontecer comigo, passou a ficar mais esclarecido. Em 2012, voltei ao curso, uma nova turma e novos colegas, confesso que fiquei com medo de sofrer novamente, porém vi que recebi bastante apoio e no mesmo ano criei este blog, para informar e conscientizar mais sobre o Autismo. Desde então, meu desempenho no curso melhorou muito, minha interação com os colegas foi melhorando. Mas infelizmente, sempre tinha uns que ainda comentavam que eu não tinha "cara de autista", que nunca viram autistas se formarem em Direito, muito menos serem advogados. Nunca deixei levar-me por esses comentários chatos e continuei seguindo em frente e confiante. 

  Sabe amigos, o que para muitos possa ser algo tão simples, que é ser aprovado em cada semestre acadêmico, para mim era motivo de comemoração pessoal, sentia que eu poderia ir além e que não há limitação quando a gente quer vencer. E sobre os meus percursos de idas e voltas da faculdade? Ah,  esses foram os desafios, praticamente em todos os dias.  Eu sempre utilizei o transporte público, foram muitos dias que eu não queria ir às aulas, devido aos ônibus cheios, pois devido à hipersensibilidade sensorial, tinha dificuldade com as pessoas encostando em mim, sem falar do barulho. Então, muitas vezes tinha a sobrecarga sensorial e acabava entrando em colapso ou crises. Mas enfrentei tudo isso até o término do curso. 

  Se por um lado, eu enfrentava a ignorância de alguns, por outro, tive muito apoio e carinho, sou grata a alguns professores que souberam me compreender.

  No quarto ano do curso, já na metade do ano, em 2015, consegui um estágio na área jurídica em um órgão do Estado, foi uma alegria, pois consegui uma superação expressiva na minha vida, além de conseguir estagiar, também consegui lidar com a mudança de rotina e a me adaptar ao local, graças ao pessoal da Assessoria Jurídica, que me apoiaram e acreditaram no meu potencial, sempre serei grata a todos. No mesmo ano, já no final, apresentei meu Trabalho de Curso, no qual fui aprovada. E segui para o último ano, 2016.

  Bom, cheguei ao final do curso bem confiante, aprendi que com os desafios, podemos os transformar em grandes vitórias.  Nada foi fácil, foram muitas lágrimas, muitas crises, mas nunca passava na minha cabeça em desistir, sempre fui persistente.  

  E o Exame de Ordem? Bom, já fui aprovada na 1ª fase e estou me preparando para a 2ª e estou confiante em ser aprovada. 

Meu amado pai, in memorian.
  Meus agradecimentos, a Deus, à minha família amada que sempre me apoiou em tudo, não posso de deixar de falar do apoio incondicional do meu amado pai, que não está mais entre nós, ele realizou o sonho dele, que era ser meu padrinho de formatura, ao meu marido, que sempre esteve comigo em todos os momentos e aos amigos que sempre torceram por mim. 

Obrigada!
















Nenhum comentário:

Postar um comentário